ZOOM defende protagonismo dos alunos nas salas de aula ao lançar ecossistema de aprendizagem ativa

De um lado, há o mundo atual com jovens proativos, conectados, curiosos e bem informados. De outro, um modelo tradicional de educação que, muitas vezes, não atende às necessidades de aprendizagem das novas gerações. No meio, tem a ZOOM education for life que, há 22 anos, vem propondo um modelo diferenciado de educação, por meio da metodologia do aprender fazendo, que coloca os alunos como protagonistas de seu próprio aprendizado, expandindo competências e agregando atitudes e valores para toda a vida. “Nos últimos anos, vimos um aumento grande do uso de tecnologias nas salas de aula, mas a prática de aprendizagem continua a mesma, faltando protagonismo dos alunos”, afirma Marcos Wesley, fundador e CEO da ZOOM.

Dentro deste contexto, a ZOOM acaba de lançar o “Active Learning Ecosystem”, um ecossistema de aprendizagem ativa, cujo objetivo é justamente transformar a sala de aula em um ambiente onde os alunos se sintam instigados a aprender, tornando-se protagonistas de seu processo de aprendizagem. “Os nossos programas incentivam que os alunos tenham mais autonomia para criar com protagonismo, por exemplo, oficinas que ensinam a construção de foguetes utilizando garrafas pet, cujo programa da ZOOM tem parceria com a Fundação Astronauta Marcos Ponte”, informa Wesley.

Na lista de lançamentos da ZOOM estão, ainda, dois novos programas extracurriculares com atividades práticas, integrando conceitos de robótica com a cultura maker: Genius, de iniciação à robótica e à Cultura Maker para crianças de 7 a 10 anos, incentivando o desenvolvimento de competências cognitivas e socioemocionais em contato, desde cedo, com a linguagem de programação; e o Roboter, para estudantes acima de 10 anos, que propõe a montagem e programação, em equipe, de um robô, desafiando os alunos a solucionarem problemas do cotidiano, além de estimular a participação dos estudantes nos torneios nacionais de robótica.

O Active Learning Ecosystem inclui, também, programas voltados para o ensino superior, como o ZOOM Engenharia na Prática (ZEP), destinado ao auxílio da diminuição da evasão nas faculdades de Engenharia e Ciências Exatas, provocada pela falta de experiências práticas durante o curso, além da deficiência na formação básica dos estudantes em Matemática e Ciências. Composto por materiais didáticos, plataformas digitais e baseado na familia Mindstorms da LEGO Education, o ZEP abrange a maioria dos itens do ciclo básico e, também, os conhecimentos e habilidades descritos nas diretrizes do Conselho Nacional de Educação, sendo também indicado para a captação de alunos do Ensino Médio para cursos universitários.

Active Learning Ecosystem foi apresentado em primeira mão durante a 5ª Convenção da ZOOM, que reuniu 88 ZOOMMERS — colaboradores e parceiros da empresa. “É muito gratificante ver a equipe engajada no propósito de mostrar a importância que os produtos da ZOOM tem para a educação, garantindo vida longa à nossa marca, por meio de um trabalho impecável”, afirmou Marcos Wesley, fundador e CEO da ZOOM.

Vale lembrar que a ZOOM vem investindo amplamente na Cultura Maker desde 2016, criando projetos e produtos nos quais os estudantes se apropriam de muitos saberes antes limitados aos técnicos e engenheiros, sendo líder, também, em STEM (Science, Tecnology, Engineering and Math). Além disso, é pioneira e líder no segmento da robótica educacional. Seus programas curriculares e extracurriculares são resultado de forte investimento em pesquisa e desenvolvimento de metodologias ativas de aprendizagem e na formação e acompanhamento presencial dos educadores para o sucesso na aplicação com os alunos.

Os Programas Educacionais da ZOOM buscam transformar a sala de aula em um ambiente no qual os seus alunos se sintam instigados a conectar, construir, analisar e continuar aprendendo, trabalhando com atividades lúdicas e desafiadoras. Como resultado, a ZOOM se tornou líder no segmento da Cultura Maker e STEM (Science, Tecnology, Engineering and Math).

A ZOOM Já atendeu mais de 2,5 milhões de estudantes em mais de 8 mil escolas de todo o Brasil, incentivando mais de 150 mil educadores a se engajarem nessa nova forma de ensinar e aprender.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *